Pesquisar
Close this search box.

Confiança da indústria brasileira cai de novo em março

Foto: Reprodução/Pixabay

Houve diminuição em 11 dos 19 segmentos industriais pesquisados pela sondagem da FGV

O Índice de Confiança da Indústria (ICI), elaborado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV IBRE), registrou uma queda de 0,9 ponto em março, atingindo 96,5 pontos. No entanto, na análise de médias móveis trimestrais, o índice apresentou um avanço de 0,3 ponto, alcançando 97,1 pontos. Esses dados foram divulgados pela fundação na terça-feira, dia 26.No mês de março, a confiança diminuiu em 11 dos 19 segmentos industriais pesquisados pela sondagem. Esse resultado reflete uma piora tanto nas avaliações sobre a situação atual quanto nas expectativas em relação aos próximos meses.

Após seis altas consecutivas, o Índice de Situação Atual (ISA) caiu 1,4 ponto, chegando a 96,6 pontos. Já o Índice de Expectativas (IE) recuou 0,4 ponto, ficando em 96,4 pontos. ”Apesar do resultado negativo em março, há uma perspectiva mais positiva relacionada a contratações, embora as expectativas sejam de cautela em relação à produção”, afirmou Stéfano Pacini, economista do FGV IBRE. “O cenário macroeconômico de quedas na taxa de juros, descompressão de custos e o bom momento do mercado de trabalho ainda não causaram um impacto substancial nos segmentos da indústria. Pacini também destacou que o desenvolvimento da nova política industrial e da reforma tributária podem gerar ganhos de confiança no setor. “Esses serão fatores-chave para a retomada do crescimento na indústria, que ainda luta para manter o ritmo da atividade observada no último trimestre de 2023”.

Além da confiança da indústria, outros índices também caíram

Dados foram publicados no último levantamento da fundação.

No último mês, o principal fator que contribuiu para a queda do Índice de Sentimento da Indústria (ISA) foi o nível de estoques, que piorou em 2,5 pontos, chegando a 102,5 pontos e mantendo-se próximo do nível neutro. De acordo com o FGV, quando esse indicador ultrapassa os 100 pontos, significa que a indústria está operando com estoques excessivos.

Da mesma forma, o indicador que avalia a demanda atual caiu 1,2 ponto, atingindo 93,9 pontos. Em uma escala menor, a situação atual dos negócios também diminuiu 0,5 ponto, chegando a 98,5 pontos, quebrando uma sequência de seis altas consecutivas.

Quanto às expectativas, houve uma piora nas previsões sobre a produção nos próximos três meses, mas uma melhora na tendência dos negócios e na intenção de contratações. O indicador de produção futura caiu 2,6 pontos, alcançando 94,8 pontos.

A tendência dos negócios nos próximos seis meses aumentou 0,7 ponto, atingindo 95,0, com um aumento acumulado de 7,1 pontos desde agosto de 2023. O indicador de intenção de contratações subiu 0,5 ponto, chegando a 99,6 pontos.

Além disso, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada da Indústria (NUCI) aumentou 0,5 ponto porcentual em março, atingindo 81,3%.

Source link

compartilhe
Facebook
Twitter
LinkedIn
Reddit

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *